O que aprendemos sobre Design Thinking com a Maria Antônia Truci

Parte da galera presente no encontro. Algumas pessoas acabaram saindo mais cedo. Foto: Guilherme Barros.

No último dia 04 de Agosto, participamos da primeira edição do Workshop – Design Thinking na ACIB, aqui em Blumenau. A iniciativa foi do Núcleo de Consultoria da associação, em parceria com o Núcleo de Inovação da ACIB, no qual a isCool faz parte. O encontro foi realizado e facilitado pela Maria Antônia Truci, idealizadora do coworking  Station BC , em Balneário Camburiú. E nós, entusiastas do pensamento via design centrado no usuário, participamos do encontro e resolvemos descrever um pouco sobre o que vimos lá.

Tivemos 23 pessoas presentes. Além das atividades de ‘aquecimento’ que permitiu que a galera se sentisse mais presente no encontro para estimular novas ideias. Na parte da tarde, os participantes foram divididos em grupo para iniciar um processo de resolução de problemas baseado no modelo de design Thinking.

Muitos dos grupos identificaram os seus próprios clientes como usuário de estudo e assim, a construção foi conduzida neste sentido, gerando uma série de ideias do que poderia ser feito para gerar novos negócios e até rolou um protótipo das ideias construídas.

Toda a construção em grupo foi baseada numa pergunta (abstrata propositalmente):

Como podemos gerar novos negócios?

A partir dessa pergunta, o desafio era entender mais sobre o público atingido pela respostas dessa pergunta e como poderíamos ser mais específico para aplicar uma resolução mais eficiente.

 O que é Design Thinking 

O Design Thinking é um modelo mental que engloba o pensamento pluralista e o pensamento sistêmico, no intuito de construir futuros melhores. Ele não é uma caixinha mágica de soluções para problemas, não segue um pensamento linear e não pode ser extremamente simplificado, ou pode perder o seu valor.

Na prática, o design thinking é uma abordagem centrada no ser humano que acelera a inovação e soluciona problemas complexos.

Foi nessa linha que a Maria levou a condução do encontro com a galera presente. Foi muito rico para todos poder participar das discussões e entender que muito dos empreendedores presentes poderiam construir ainda mais valor para os clientes uma vez que pudessem colocá-los no centro das atenções, desenvolvendo empatia e uma interpretação mais humana de seus problemas.

Muito dos perfis das pessoas presentes estavam ligados à gestão de pessoas, coach comportamental, educação (nós, uhuul!), varejo B2C, engenheiros e até advogados! O que chama mais atenção nessa pluralidade é justamente o poder criativo que podemos alavancar quando o grupo é diversificado.

E essa pode ser a nossa primeira lição: desenvolver melhorias e inovações colocando o usuário como o centro das atenções fará ainda mais sentido e trará ainda mais riqueza para o resultado final se a equipe presente foi a mais diversificada possível.

Ou seja,  essa diversidade de olhares somada a multidisciplinaridade nos permite enxergar oportunidades e soluções que jamais seriam possíveis se geradas por uma só cabeça.

Até porque, entendemos que quanto mais as pessoas pensarem iguais as outras, menos criativos podemos ser com as nossas soluções. O choque da diversidade é muito rico e sempre é bom provocá-lo para resolvermos problemas complexos.

Com isso, entendemos o Design Thinking se baseia em 4 mudanças de pensamento para que possamos aplicá-lo:

  1. Decisões centradas nos seres humanos.
  2. Questionar questões.
  3. Construir para pensar.
  4. Iterar.

O Design Thinking é um modelo mental de natureza iterativa e flexível, isso significa que é um processo no qual o erro é visto como parte integrante e valiosa da jornada.

Existem momentos alternados de divergência e convergência de pensamento, baseados no processo de inovação conhecido como Double Diamond, mapeado pelo  Design Council UK em 2005.

Pela abordagem o momento de gerar soluções se inicia apenas depois de vasta compreensão de contexto e resignificação de desafio e é apenas parte da jornada.

 Os Valores do Design Thinking 

Os valores estão diretamente ligados às interações que fazemos durante todo o processo. Ter empatia para entender o usuário; se conectar ao grupo presente para promover a colaboração e; experimentar e considerar que o erro faz parte da jornada e é elemento essencial para o aprendizado.

 Empatia  – Significa se colocar no lugar do outro, despir-se de pressupostos e compreender o contexto e ações do outro, acolher, assimilar e acomodar perspectivas alheias.

 Colaboração  – Significa pensar conjuntamente, cocriar em equipes multidisciplinares para que nosso pensamento e capacidade de entendimento se multiplique exponencialmente.

 Experimentação  – Significa sair do campo das ideias, da fala. Construir e testar soluções para evitar problemas na fase de implementação.

 A Abordagem 

Para a abordagem, basicamente respeitamos a jornada apresentada anteriormente ligada ao Double Diamond.

Entendimento 

A fase de Entendimento é de extrema importância para a equipe, um momento de nivelamento de conhecimento e de criação das primeiras regras sociais do grupo que facilitam a colaboração.

Observação 

Momento de convergência de olhar e empatia sobre o nosso usuário. Aqui, a ideia é aprofundar no fator humano e assim devemos olhar todos os aspectos do ser humano: físico, cultural, sociológico e psicológico.

Ponto de Vista (Mapa de Empatia) 

O ponto de vista é provavelmente um dos momentos mais difíceis do projeto.  Agora, é hora de refrasear o desafio (Como podemos gerar novos negócios?) a partir do entendimento e pesquisa em grupo.

Ideação (brainstorming) 

Momento de divergência de pensamento e instrumentalização. Ao usar os dois lados do cérebro, o esuqerdo (pensamento lógico) e o direito (pensamento criativo) essa fase transforma a pesquisa em um set de direções estratégicas e soluções tangíveis

Prototipagem 

A fase de prototipagem é um momento de divergência, de gerar ainda mais ideias, de crescer o seu entendimento, de expandir…ou seja, é algo capaz de causar uma sensação em alguém antes mesmo da solução existir.

Teste 

É hora de validar as suas ideias colocando o protótipo para rodar, gerando algumas análises que poderão resultar em improvisos, novas oportunidades e até novos usos para o que você criou.

“Fail often to succeed sooner.” – IDEO.

Iteração

A iteração é a oportunidade de refinar as nossas soluções e torná-las melhores. Levá-las a um próximo nível. Uma tabela com pontos positivos, negativos, ideias e novas questões poderá te ajudar. Escolha um ponto de vista e faça as mudanças necessárias. Sempre que houver dúvidas, teste de novo!

_

Depois da fase de teste, a iteração pode significar voltar em algum ponto anterior do processo. Na fase de teste, muitas vezes descobrimos que não convergimos o suficiente no ponto de vista ou erramos em algum outro ponto, esse é o momento de voltar atrás e iterar! O “duplo diamante” pode abrir e fechar, divergir e convergir quantas vezes necessárias.

Como a agenda acabou passando um pouco do tempo (você deve imaginar como a galera se estende nas discussões tão ricas e estimulantes que são), assim nem todas as etapas foram completadas 100%.

De qualquer forma, o resultado (principalmente o processo em si) foi muito rico para todos e isso foi o mais importante para a galera.

E para você que gosta de uma boa prática de brainstorming, a Maria trouxe para nós um apanhado de regras que facilitou nas discussões, principalmente no momento de ideação.

Veja:

Bom, é isso.

Aqui na isCool a gente incorpora bem esse modelo mental de pensar colocando o usuário no centro das atenções. Além de ser algo mais eficiente para qualquer processo de ideação e/ou melhoria de serviços e produtos, é algo diretamente ligado ao nosso business, a educação. Aplicar o Design Thinking na educação faz toda a diferença, principalmente para a pessoa que esta aprendendo.

Valeu Maria, foi um prazer aprender e praticar essas técnicas com você. E galera da ACIB (núcleo de consultoria e inovação), mais uma vez agradecemos a oportunidade de ter acesso a essas experiências e profissionais. Tamo junto! o/