É possível trabalhar feliz, sem stress e faturando mais

Algumas perguntas para você pensar e responder antes de começar nossa reflexão de hoje.

E se hoje fosse seu último dia de vida:

  •  Você partiria com a sensação de que teve uma carreira feliz?
  •  Você seguiu seu propósito, descobriu e cumpriu sua missão de vida?
  •  Você cresceu, se desenvolveu, ajudou as pessoas e foi feliz?
  •  Você se identificou com os itens acima, é claro que não.
  •  Você está sendo verdeiro com você enquanto lê e responde mentalmente essas perguntas?

Avalie antes se você foi verdadeiro ou foi hipócrita até aqui respondendo vários SIM, quando na verdade as respostas deveriam ser O CONTRÁRIO.

_

Convite para você: dia 28 de Agosto – Do Hobby ao Business: Autoconhecimento e Comportamento Empreendedor, com Jordane Marques.

Se suas respostas foram 90% SIM, replique esse texto ao seu amigo que precisa de uma força e volte a fazer o que você estava fazendo há 5 minutos. Mas se você se identificou, continue lendo e vamos começar a salvar a sua vida!

Por hábito aprendemos a cortar cauda e cabeça do peixe antes de assim. Como nossas avós faziam quando não dispunham de assadeira ou fornos grandes o suficiente para caber o peixe inteiro. Da mesma forma, continuamos colocando os talheres na primeira gaveta da pia da cozinha. E assim seguimos, repetindo os mesmos padrões de nossos avós.

Padrões que ensinaram que para ser feliz é preciso: boa faculdade, bom emprego com carteira assinada, sair cedo para trabalhar e voltar no final do dia para ver o Jornal Nacional. Criamos e seguimos padrões por medo de fazer algo diferente. Algo que seja de verdade nosso, autêntico. E que provavelmente será muito melhor.

 No trabalho não é diferente. Seguindo o curso de gerações, o homem aprendeu que o sucesso deve vir de trabalhar duro e abdicar do que te faz feliz. Ele foi acostumado a ser feliz apenas no final de semana, a trabalhar por dinheiro e não por satisfação. Enfartar, sofrer com pressão alta e ter sequelas de derrames por causa de toda tristeza e insatisfação diante da vida pareciam parte do pacote. Ele cresceu idolatrando seus ídolos de rock ou do cinema que transformaram em ganha-pão a sua missão e vocação. Mas a coragem para tomar as rédeas de sua vida ficaram na imaginação.

 

Esse era o perfil do homem nascido na primeira metade do século passado. Mas depois que o mundo acelerou o passo com o pós guerra e a globalização criada com o advento da internet, o homem descobriu como a vida e efêmera, acessou conhecimentos antes impossíveis e passou a ser uma criança-adulta e inquieta.

 A nossa geração deseja monetizar seus sonhos, viver trabalhando no que ama, ter tempo pra família, investir em sua saúde e qualidade de vida. Para o homem moderno, trabalho precisa estar alinhado com propósito e só assim sua vida fará sentido. O homem operacional deu lugar ao homem filosófico que busca clareza e autoconhecimento. Seu objetivo é descobrir o seu propósito de vida e se realizar dentro dele.

 Para alguns, principalmente para aquele que se sacrificaram a vida toda por alguém, essa busca de felicidade para egoísmo. Mas é exatamente o contrário. É amor próprio que gera o fluxo da abundância! É a partir desse conceito de amor que podemos espalhar amor, ajudar o próximo e entregar ao mundo o nosso melhor. Partir de “eu” para o “coletivo” é a receita para causar um impacto positivo sobre os outros. Isso é missão e propósito de vida.

 Outro fato muito importante foi que o homem aprendeu com o tempo. Antes ele poupava para viajar, viver de verdade e ser feliz na sua velhice. Porém, na idade avançada, o corpo cansado de tantos anos de sofrimento não tinha forças para “experimentar” a tal felicidade. Nós aprendemos vendo nossos avós morrerem com patrimônio e sem saúde. Choramos ao acompanhar o último suspiro de nosso pai que nos deu uma lição de vida em seu leito de morte:

 “_ Meu filho, o bem mais importante é a saúde! Aproveite a vida enquanto você é jovem!”

 Frase de final de novela que marcou nossa geração a ponto de escolhermos que nossa felicidade é agora! E que nossa missão não está no final da vida, mas sim enquanto caminhamos o nosso caminho. O que fazemos hoje de relevante é mais importante do que aquilo que poupei para o futuro. Isso nos levará ao sucesso. Lembrando que sucesso não parte da ideia de competição com seu vizinho e sim do compromisso de ser melhor que você mesmo.

 Você pode reinventar sua vida, transformar sua carreira ou mesmo continuar dentro da mesma profissão, porém, entendendo seu potencial e como ser feliz nela. Parece burrice usar um sapato que causa bolhas por diversas vezes e ainda assim calças mais uma vez. E por que seria diferente trabalhar numa carreira ou empresa que lhe machuca? É a mesma burrice! Ou você arruma o sapato para não machucar ou troca de par. Mas boa parte de nós pensa em manter aquele sapato no armário por apego e medo de um dia não ter outro para usar. Na verdade, só ocupa lugar e não será usado!

A nossa busca por alinhar nossa vida e profissão com nosso propósito de vida sempre terá sucesso quando:

a) analisarmos friamente e estabelecermos o Ponto “A” (onde estamos);

b) visualizarmos o Ponto “B” (onde desejamos chegar);

c) desenharmos o plano que precisaremos adotar para trilhar o caminho entre os pontos A-B;

d) percebermos nossas emoções sabotadores e dominarmos elas com foco e ferramentas adequadas.

 
Para você conferir se eu estou certa em minhas considerações, basta você relembrar a receita que você usou em outros tempo e mudanças empreendidas.

Quer ver os sinais clássicos de que sua carreira está precisando de revisão ou pivotagem? Veja se você conhece e sente esses sintomas:

  • SÍNDROME DA VINHETA DO FANTÁSTICO: Não precisa chegar a segunda-feira pra você ficar triste. A música do Fantástico é o começo da depressão semanal.Talvez nem assista mais TV, mas sabe que é domingo e que isso significa TPS (tensão pré-segunda).

  • COMEMORA A CHEGADA DA SEXTA-FEIRA: Final de tarde de Sexta-feira você já posta nas redes sociais a sua alegria com a chegada da sexta.

  • ATESTADO 911: Ttudo é melhor do que trabalhar na 6a e na 2a, inclusive ficar doente!

  • TÉDIO: Sua vida está tediosa, sem graça e você reclama de tudo.

  • TRABALHO VALE A PENA PELOS AMIGOS: No trabalho, tudo o que você gosta de fazer não tem relação nenhuma com o trabalho em si. A melhor parte do dia de trabalho é a hora do cafezinho com o pessoal do departamento.

  • SAÍDA RÁPIDA PELA DIREITA:Você sempre está procurando emprego ou oportunidades de empreender, correndo inclusive o risco de ir para algo pior.

  • SEM TEMPO PARA SUA VIDA: Sua saúde, qualidade de vida, amigos e familiares não são prioridade. Aliás, como encaixá-los na agenda é sempre sua dúvida. Não dá tempo pra isso.

  • SENSAÇÃO DE VAZIO: Falta força para sair da cama e trabalhar. Pensa em por que você trabalha. A resposta que segue: “Pra pagar as contas do mês e olha lá”. Ouve falar de missão de vida, mas não sabe qual o seu propósito. Sente que algo está faltando, mas não sabe o que é.

  • COMPENSAÇÕES: Faz compensações, consciente ou inconscientemente. Se não tem felicidade no trabalho, melhor ser feliz de outra forma: compras, comida, jogos, bebida.

  • PEITO MURCHO: Desafios, sucesso, frio na barriga, orgulho próprio, sensação de crescimento, orgulho da sua carreira, chegar em casa com novidades, etc. Quanto tempo que você não sente isso?

  • FUTURO COM NOVIDADES: Não faz ideia de como será seu futuro profissional, MAS você tem certeza é que não quer continuar como está.

Reconheceu os sintomas? Fique de olho nesse link e participe de nossas palestras. Ou, se você não tem mais tempo a perder e precisa de ajuda para gerenciar sua vida, carreira e mudanças, peça nossa ajuda. Será uma alegria ajudar!